Não sei o que queres dizer com glória, disse Alice.
Humpty-Dumpty sorriu, com desprezo. Claro que não, até que eu te diga. Quero dizer "aí tens um belo argumento que te arruma!"
Mas "glória" não significa um belo argumento que te arruma
, objectou Alice.
Quando eu uso uma palavra, disse Humpty-Dumpty, em tom de escárnio, ela significa o que eu decidir que significa, nem mais nem menos.
O problema é, disse Alice, se se pode obrigar as palavras a significar tantas coisas diferentes.
O problema é, disse Humpty-Dumpty, quem manda. Apenas isso.

Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas




rascunhos
de
abordagens
(eventualmente)
literárias



GNM


Nasci muito perto do fim dos anos 70. O meu nascimento aconteceu às primeiras horas de um dia gelado de Dezembro, e, desde aí, jamais consegui libertar-me do frio que se fazia sentir naquele dia. A normalidade foi algo que durante toda a vida inconscientemente ansiei, mas sempre recusei. Em criança ela espreitava-me durante a noite, olhando-me do lado de fora da janela. E eu, fingindo não a ver, fechava as cortinas...

⊆ sábado, dezembro 15, 2007 por GNM | . | ˜ 10 comentários »







10 respostas a

  1. Paula Raposo Says:
    De que resposta estás à espera??! Eh eh Muito beijinhos de parabéns pelo dia de hoje...meu querido. E a minha resposta é sim, seja a que hora for...
  2. digoeu Says:
    welcome back!!!
    ;)
  3. Bia Vale Says:
    Preferia na tua hora de jantar, pode ser?
  4. joaninha Says:
    Volto. Volto de vez em quando, numa romagem de saudade, Vendo as alterações, relendo o já lido. Mas hoje foi bom. Foi bom porque há coisas novas e este poema é… sabes que é, por isso as minhas palavras seriam insignificantes. Gostei.
    Bom Ano e tudo a correr como planeaste, é o meu desejo. Beijinhos
  5. Joaquim Amândio Santos Says:
    o que é o conhecimento?

    visão directa do corpo e da atitude?
    prolongado caminho nem que condutor à saturação encapotada?

    Vivência superficial feita de fait-divers e não de curiosa partilha sem hora nem condicionalismos marcados?

    Será assim tão impossível iniciar o conhecimento na distância? julgo que não e defendo tal desiderato.


    ASSIM AQUI DEPOSITO A MINHA HOMEGAEM AOS BLOGGERS, ESSES ALADOS TRANSMISSORES DE LAÇOS DE PARTILHA!
  6. Luana Says:
    mas ainda assim resta sempre o sonho... e nele podemos ter quem queremos...

    um beijo doce
  7. Claudia Sousa Dias Says:
    Concordo com Luana.

    É bom ver-te apaixonado mesmo assim.

    CSD
  8. leonor costa Says:
    Olá, Gonçalo!
    Há muito tempo que não passava por aqui. Os sonhos, por vezes, deixam-nos um travo amargo na garganta mas é bom sonhar!
    Tenho um blogue novo com a minha poesia. Gostava de te ver por aqui.

    Beijinhos

    HOJE E AMAMHÃ
  9. Martuxa Says:
    Este comentário foi removido pelo autor.
  10. alien aboard Says:
    o casamento é uma farsa...acredito mais no acasalamento lol

    ...e é fodido o amor prinxipalmente kuando acaba..

= Leave a Reply