Não sei o que queres dizer com glória, disse Alice.
Humpty-Dumpty sorriu, com desprezo. Claro que não, até que eu te diga. Quero dizer "aí tens um belo argumento que te arruma!"
Mas "glória" não significa um belo argumento que te arruma
, objectou Alice.
Quando eu uso uma palavra, disse Humpty-Dumpty, em tom de escárnio, ela significa o que eu decidir que significa, nem mais nem menos.
O problema é, disse Alice, se se pode obrigar as palavras a significar tantas coisas diferentes.
O problema é, disse Humpty-Dumpty, quem manda. Apenas isso.

Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas




rascunhos
de
abordagens
(eventualmente)
literárias



GNM


Nasci muito perto do fim dos anos 70. O meu nascimento aconteceu às primeiras horas de um dia gelado de Dezembro, e, desde aí, jamais consegui libertar-me do frio que se fazia sentir naquele dia. A normalidade foi algo que durante toda a vida inconscientemente ansiei, mas sempre recusei. Em criança ela espreitava-me durante a noite, olhando-me do lado de fora da janela. E eu, fingindo não a ver, fechava as cortinas...

No meu sonho...

⊆ segunda-feira, dezembro 31, 2007 por GNM | . | ˜ 19 comentários »

No meu sonho estavamos
deitados, num banco de jardim
de verdes mal pintados,
velhos, desgastados, no centro
de uma enorme pedra plana,
sem princípio... sem fim...

Tu e eu... a únicas pessoas

do meu sonho...

Experimentavamos todas as
posições. E esquecemos, por momentos,
o mundo que nos estranha, acanha,
entranha... O mundo de outros tromentos,
de outras paixões.

E debaixo de um céu escuro
enterrámos as armas e sem pudor
nem carmas, experimentavamo-nos
intensamente... Sem passado nem futuro,
só tempo presente.

Os teus gemidos, mal contidos,
ecoavam no silêncio.
Tu, corada, excitada, molhada,
perseguida pelos sentidos.

E eu... eu sem saber se era mesmo eu...

E entre suspiros, espasmos, orgasmos,
rimos, choramos, sem saber se
amámos, odiámos, ou
simplesmente... ali ficámos...

Tu e eu... meras personagens do teatro
de marionetas dos deuses...

E as lágrimas de prata, da paixão
ingrata, escorriam-nos pelo rosto.
Beijei as tuas... era agridoce, o sabor.
E por fim caíram naquela pedra
que parecia tão forte, tão pura, tão dura...
E rasgando-a numa fissura,
deram vida, na forma de uma flor.

E agora, acordado, enquanto escrevo,

o meu coração estremece, como se
eu ainda estivesse, dentro de ti...
Mas foi apenas um sonho...
Porque tu partiste...
E nunca mais voltaste.


19 respostas a No meu sonho...

  1. Paula Raposo Says:
    Um sonho maravilhoso! Muito bem descrito pela tua poesia, da qual sou, incondicional fã!! Mas isso eu não preciso de repetir...porque tu já sabes há muito! Entretanto vamos sonhando. Muitos beijos.
  2. A.R. Says:
    És simples, és lindo, és genial.

    Mereces que o novo ano te traga tudo o que queres.

    Beijo!
  3. aflores Says:
    Bom dia!!...Bom ano!...Bom regresso e...Bons sonhos!!!

    Grande abraço
  4. d. Says:
    ainda tem um fio de esperança, mesmo que pequeno.
  5. Gnose Says:
    Passo discretamente... depositando o beijo de sempre ;).
  6. © Piedade Araújo Sol Says:
    belo poema feito sonho, ou sonho feito poema

    beijo

    Pi
  7. Anónimo Says:
    já tinha saudades das tuas palavras, continua a voltar nem que seja de vez enquando...

    beijo,

    CR
  8. Claudia Sousa Dias Says:
    Olá Gonçalo!


    Já cá não vinha há muito tempo...!

    Li o teu livro e tem vários poemas de que gosto...O meu preferido é aquele que é um autêntico manifesto contra a repressão "Matem os poetas!"

    Mas tenho a sensação que os alterste um bocadinho antes da publicação...


    CSD
  9. Anónimo Says:
    "O AMOR É PARA A ALMA COMO AS SANDÁLIAS SÃO PARA OS PÉS....INDESPENSÁVEL"
    A Frase não é minha mas recorta bem um estado de espirito.

    Amar ou não amar...
    eis a questão..
    amar ou não!...
    Na descoberta do mais fundo de ti
    amar-te sempre... amar em mim?
    Amar...segredo, guardado a medo
    a medo conquistado...no medo.

    Desconheço quem tu és...
    nada de ti sei
    beijo-te os pés... hoje
    e embaraçado, fico nesse teu lado.

    Amar ou não amar...eis a questão...
    E fico renunciado...dentro de ti
    perdendo-me no pleno consolo
    do medo de quem vai e não vem
    na furia de quem persegue a mais
    ninguém...

    Amar...só por amar
    a mais alguém...
    Só por amar... eis a questão!...

    É só para felicitá-lo caro amigo, passei por aqui e deito-lhe este poema tentado... só tentado, para tentar ou deitar fora.
    Benvindo e felicidades
  10. Anónimo Says:
    Há é verdade!... É muito feio não nos identificarmos, é pela simples razão que não tenho blog...
    Um até já

    Helena Oli
  11. Martuxa Says:
    Este comentário foi removido pelo autor.
  12. Raquel Vasconcelos Says:
    Olá,
    o Eremita, do blogue EREMITÉRIO atribuiu-me um senhor prémio “É um blog muito bom sim senhor”, :).
    Eu atribuo a:

    Sete Mares; Policromia; Humores; Branco e Preto;
    Extranumerário; Poesia Portuguesa; Estranhos dias e Corpo do delito.
    nota: Cada blogue que possuo tem a sua forma intrínseca de existir, e é com base na do Páginas que a minha escolha foi feita. Como estive muito tempo afastada tenho que me reportar a algum tempo atrás e tendo espreitado cada blogue apontado vejo que não mudaram a qualidade. Alguns bloggers têm mais que um blogue e a escolha de um na verdade é a escolha do conjunto dos seus blogues. Os blogues também são os seus bloggers, isso também contou. (…)

    Aproveito o facto de o Eremita também me ter lançado o seguinte desafio: escrever 6 coisas peculiares (próprias, privadas, características) a meu respeito, para responder e o colocar aos bloggers nomeados em “É um blog muito bom sim senhor”.

    Beijinhos daqui,
    Raquel

    E faz-me o favor de continuar a sorrir ;)
  13. Martuxa Says:
    Este comentário foi removido pelo autor.
  14. catarinia Says:
    Já não passava cá há tanto tempo!

    Está diferente. Está... vermelho! =)

    E eu tenho saudades de te ler.
    Beijo grande!
  15. joaninha Says:
    Depois da tempestade ... e voltei a visitar os blogues dos amigos. Como gostei deste texto em prosa poética! Muito obrigada por teres permitido que voltasse a ter a alegria de te ler.
    Um abraço do tamanho do mundo
  16. António Says:
    Olá, Gonçalo!
    Queres dar um saltinho ao meu blog
    http://eusoulouco2.blogs.sapo.pt?
    Obrigado!

    Abraço
  17. paz Says:
    Caro amigo

    É só para deixar uma vontade de ler mais poesia sua.

    Quando quiser ... estou á espera de mais....

    Mas só quando quiser...

    Um abraço de até já
  18. Intruso Says:
    gostei...
  19. Isabel José António Says:
    José António:

    Neste ano de 2010, que todos possamos dar passos no caminho do discernimento, da mudança de Paradigma do “ter” para o “SER” e começarmos e conseguir ver cada Ser Humano como uma ALMA num corpo físico e não, como até aqui, como um corpo que “tem” uma alma…

    Isabel:

    Celebremos com gratidão os que nos deixaram em 2009.
    O meu desejo para 2010 é de que tenhamos DISCERNIMENTO para distinguir o que é ESSÊNCIAL daquilo que apenas o parece, que tenhamos BONDADE a lidar com todos, inclusive connosco próprios, que tenhamos CORAGEM para respondermos aos Desafios e eventuais dificuldades que surjam, como OPORTUNIDADES de CRESCIMENTO e de SERVIÇO ao BEM COMUM e que se REALIZEM os nossos MELHORES e MAIS BELOS SONHOS!

= Leave a Reply