Não sei o que queres dizer com glória, disse Alice.
Humpty-Dumpty sorriu, com desprezo. Claro que não, até que eu te diga. Quero dizer "aí tens um belo argumento que te arruma!"
Mas "glória" não significa um belo argumento que te arruma
, objectou Alice.
Quando eu uso uma palavra, disse Humpty-Dumpty, em tom de escárnio, ela significa o que eu decidir que significa, nem mais nem menos.
O problema é, disse Alice, se se pode obrigar as palavras a significar tantas coisas diferentes.
O problema é, disse Humpty-Dumpty, quem manda. Apenas isso.

Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas




rascunhos
de
abordagens
(eventualmente)
literárias



GNM


Nasci muito perto do fim dos anos 70. O meu nascimento aconteceu às primeiras horas de um dia gelado de Dezembro, e, desde aí, jamais consegui libertar-me do frio que se fazia sentir naquele dia. A normalidade foi algo que durante toda a vida inconscientemente ansiei, mas sempre recusei. Em criança ela espreitava-me durante a noite, olhando-me do lado de fora da janela. E eu, fingindo não a ver, fechava as cortinas...

Avidez inquieta

⊆ domingo, março 26, 2006 por GNM | . | ˜ 40 comentários »

Mundo: Obsessivo. Pestilento. Sério demais.
Erguido à luz desse pecado original.
Sejamos humanos: Errantes e banais,
Nos teus becos não há nada de fatal.
Por que não aprendeste a sorrir, homem primitivo?
E a alcateia que somos teria um uivar diferente:
Submerso o mundo amargo e intempestivo,
Nós, eternas crianças num mundo surpreendente.
Será do dia em que foi inventado?
Um dia pintado a cinzentos depressivos,
Um dia trémulo, ausente, demorado…
Seriedade, de onde jamais partiremos vivos.
E nos flancos de outro dia de semblante sério,
Sufocado pelo tédio dos dias sempre iguais,
Estilhaça a fadiga e emerge o mistério
Da nossa íntima condição de mortais.
E, vazios, despedimo-nos da vida,
No silêncio de um dia: O dia final.
Cosmos, quartzo, existência esquecida,
Maçada aborrecida… Mais um funeral.
Nem caos nem dúvidas. Tudo simples e claro.
Para quê o árduo desvelo da incerteza?
Esta noite quebro o cálice onde amparo
O orvalho amargo de séculos de tristeza.


40 respostas a Avidez inquieta

  1. A Cor do Mar Says:
    Pq o real tem de ser triste?.... Verdadeiro... gostei muito. Grd beijinho *
  2. Pakkatto Says:
    "Por que viver nesta incerteza?
    Por que não vendemos mais caro
    As lágrimas de nossa tristeza?"

    Adorei o poema. Fiz sobre ele várias transformações métricas para torná-lo mais musical.

    P.S.> Be cool já saiu em DVD. O Outro Nome do Jogo é o título em português.
  3. ridufa Says:
    Acredita que podemos fazer a diferença. Basta sorrir ao mundo... há sempre a esperança que sorria de volta ;) bjs
  4. Marta Says:
    Será k mundo tem mm de ser cinzento, frio e escuro??
    Continua a sorrir k ele fica branco, alegre e colorido!!!
    A vida é e smp foi mágico, maravilhosa e fantástica!!! O k vale é k to digo a ti mas eu mm acreditar...tá kieto!!!
    Fica bem
    Sorri smp, pa ti e pó mundo!!!
    Bjs pa ti
    Tenho de ver se faço o blog!!
    ****
  5. Anónimo Says:
    ... muito grande é a superioridade do homem que se libertou do desejo de viver...

    lindo... apesar de triste


    beijo
    CR
  6. K.F. Says:
    "Por que não vendemos mais caro
    As lágrimas de nossa tristeza?"

    Eu também tenho as perguntas e nunca sei as respostas... Gostei muito daqui.
  7. Iara Says:
    Gostei de suas palavras, dos sentimos que ela me passou. Bjos
  8. Miss Lust Says:
    Porque temos de viver assim!. Beijo
  9. Cerejinha Says:
    A corda bamba é a estrada por onde todos caminhamos...
  10. Rosario Andrade Says:
    É urgente sorrir! Sorrir nao cura mas é um lenitivo.
    Bem vejo que tens a alma macerada... anima-te! :-)... este mundo ainda é o melhor que temos e a nossa Humanidade a unica certeza que em que vale a pena acreditar!
    Abracicos!
  11. Claudia Perotti Says:
    As vezes ficamos cheios de não me toques e não somos nada! Seremos mais um funeral!

    Adorei o texto, fez-me pensar em muitas coisas!

    Bom final de semana!

    Beijos
  12. Paula Raposo Says:
    E não "vendemos mais caro as lágrimas da nossa tristeza" porque a vida não tem preço...bonito o teu poema, linda a música!!! Beijos
  13. amartejo Says:
    Só o amor tem passado, presente e futuro.
  14. myanmar Says:
    que belo poema
    (e que optima escolha musical*)
  15. zahaara Says:
    Gostei muito das palavras , )

    O mundo é simplesmene aquilo que achamos dele, nós é que o fazemos, podemos pintá-lo da cor que quisermos.o sonho é nosso!

    Fiquei curiosa em relação à música , pois Portishead para mim é...muito. E foi uma surpresa ouvir esta música...que desconhecia..podes-me dizer o nome da música e do álbum?

    grazie mille

    fica bem e boa semana!

    ,)
  16. ≈♥ Nadir ♥≈ Says:
    Brilhante!!!!
    No centro da nossa existência, só a morte é uma certeza...

    Bjx e boa semana
  17. Alexandra Says:
    "Por que não aprendeste a sorrir, homem primitivo?
    E a alcateia que somos teria um uivar diferente: ..."

    Ao ler esta parte de um todo maravilhoso embora triste (essa tristeza, melancolia... já trespassa muitos outros post's)fiquei a pensar na herança que transportamos de tempos longínquos...

    Mais uma vez, deliciei-me!
  18. Martuxa Says:
    O mundo sério, escuro, cinzento, triste e apagado ... Sabes, ele torna-se alegre, colorido, vivo, feliz e aceso com a presença de algumas pessoas nas nossas vidas, tu és uma delas... Um sol e um arco-íris =P
    Saudades meu lindo de kem tt gosto =D
    Beijos doxes hj e smp k o teu mundo for sério, escuro, cinzento, triste e apagado
    Sorrisos xeios de beijos
  19. Paula Raposo Says:
    Mais um poema para o qual não tenho palavras...parto o cálice. Sem dúvida. Beijos para ti.
  20. Joaninha Says:
    Palavras. Apenas palavras poderia dizer para traduzir o que senti ao ler esta bela poesia, pois não saberia expressar-me de outra forma. Embalada pela melodia, apenas fechei os olhos e deixei que o pensamento corresse e decidi agradecer-te este momento, que me elevou ao ponto mais elevado do meu sonho de sonhos divagantes... Um bom dia para ti com tudo do melhor. Beijinhos
  21. Anónimo Says:
    :((((

    A.
  22. Rui Says:
    Tudo simples e claro... sim, se possivel.
  23. Andrye Says:
    Um mundo q me poe ainda mais triste c a realidade em q vivo..beijinho*
  24. lena Says:
    às vezes penso que é mesmo assim, tudo cinzento, sombrio e triste

    fazes-me ficar a pensar

    será que não há mais cores no mundo que "vestimos"

    beijinhos para ti

    lena
  25. Ninguém.Especial Says:
    É bom ver tudo isto a mudar. Se estava bom, cada vez está melhor. O meu parou. Fiz bem. Mas garanto-lhe que, independentemente de o conhecer ou não (esta última é A Resposta Certa), assim que tiver um novo blog- se ele aparecer por estes dias, por todos estes dias sem fim talvez ele apareça, talvez; quando surgir lá do fundo, será um dos primeiros blogs a que me hei-de dirigir para pedir um add como link. Continua.
  26. Aran Says:
    Fantástico!!! Magnifica a pena que te conduziu em soberba prosa/poesia... Adorei, um beijinho grande
  27. Micas Says:
    A vida é um jogo duro que temos de aprender a jogar...
    Gostei deste lugar e vou voltar.
  28. alice Says:
    “um dia
    virás aqui ler-me
    tu ainda não sabes
    das gaivotas que tombam
    nem dos tigres velozes
    nos meus ouvidos
    um dia
    saberás da luta das aves
    e do tremor da terra
    enquanto fumas

    *
    um dia
    virás aqui ler-te
    eu ainda não sei
    das correntes mudas que prendes
    nem das cutículas pendentes dos teus dedos
    nos meus dentes
    um dia
    saberei do cheiro que guardas fora dos livros
    e do poema que amas
    na porta do meu corpo

    *
    um dia
    virei aqui ler-me
    tu ainda não sabes
    da região do vinho do meu sangue
    nem da curta metragem das horas
    nas tuas cordas vocais
    um dia saberás do tempo
    e do interruptor
    que apaga o medo

    *
    um dia
    virei aqui ler-te
    eu ainda não sei
    das patas nervosas que aumentas
    nem dos olhos cansados
    na pele do meu rosto
    um dia
    saberei dos dias que matas
    e dos cadáveres
    que comes ao jantar

    *
    um dia
    viremos aqui ler-nos
    ainda não sabemos a data
    que escorre na janela
    nem a saliva do beijo
    da mulher que te pede um cigarro
    um dia
    saberemos ser dia
    depois da madrugada”

    pela tua amizade e carinho, com um beijinho da sempre aqui,
    alice
  29. jorgeferrorosa Says:
    Muito bonito o escrito, traduz algo muito profundo. Gosto imenso dos teus escritos, são diferentes... têm uma carga emocional muito grande. Fantástico mesmo. Parabéns.
  30. Pecado Original Says:
    Vender mais caro as lágrimas,
    quebrar na angustia de tanto amar.
    Será um pecado, um erro, uma andar apressado sem final para chegar?
    Digo-te, peço-te mas não tolero.
    Avidez inquieta,
    Que me acertas com a ponta da mágoa,
    Esta face discreta de um incerteza que não quero duvidar.
    Ninguem precisa de ninguem,
    Toda a gente quer alguem.

    Beijo pecador
  31. psac74 Says:
    Partamos, então, esse cálice, amigo GNM!
  32. Nuno Martins Says:
    Gostei deste blog.

    Saudações!
  33. Marisela Says:
    És um caos na vida e nos corações.
    És verdadeiramente efemore e autêntico.
    Sopras, inventas, crias de proposito.
    És cruelmente fantástico.

    Adoro irrequietamente este poema.

    Boa semana*
  34. Pluma(PrincesaVirtual) Says:
    Linddddoooo :D adorei este poema beijossssss (recatados tá claro ;) )
  35. manuel Says:
    Gostei mto do poema. Deixo um abraço,
  36. terragel Says:
    GMN, linda tua composição poetica.
    Bjs
  37. BloodyMary Says:
    E tudo o que vejo são corpos...tentando encontrar a sua alma que se encontra a monte.

    Um beijo e bom fim-de-semana*
  38. Anónimo Says:
    What a great site
    » » »
  39. Anónimo Says:
    Very cool design! Useful information. Go on! » » »
  40. Anónimo Says:
    Keep up the good work »

= Leave a Reply