Não sei o que queres dizer com glória, disse Alice.
Humpty-Dumpty sorriu, com desprezo. Claro que não, até que eu te diga. Quero dizer "aí tens um belo argumento que te arruma!"
Mas "glória" não significa um belo argumento que te arruma
, objectou Alice.
Quando eu uso uma palavra, disse Humpty-Dumpty, em tom de escárnio, ela significa o que eu decidir que significa, nem mais nem menos.
O problema é, disse Alice, se se pode obrigar as palavras a significar tantas coisas diferentes.
O problema é, disse Humpty-Dumpty, quem manda. Apenas isso.

Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas




rascunhos
de
abordagens
(eventualmente)
literárias



GNM


Nasci muito perto do fim dos anos 70. O meu nascimento aconteceu às primeiras horas de um dia gelado de Dezembro, e, desde aí, jamais consegui libertar-me do frio que se fazia sentir naquele dia. A normalidade foi algo que durante toda a vida inconscientemente ansiei, mas sempre recusei. Em criança ela espreitava-me durante a noite, olhando-me do lado de fora da janela. E eu, fingindo não a ver, fechava as cortinas...

Segredos

⊆ quinta-feira, dezembro 08, 2005 por GNM | . | ˜ 43 comentários »

Guardei-os na minha alma. Trancados na gaveta do fundo,
Mas não suportei deter provas duma existência desfalecida,
(Sei que o mundo é um homem triste de cabeça descaída),
Sou apenas mais um reles habitante do planeta moribundo.

Para quê guardar segredos maiores que o próprio mundo?
Eram meus. Só meus. Eram maiores que a própria vida,
(E quanta pequenez existe nesta vidinha embrutecida…),
Hoje, lancei-os cimentados às águas de um rio profundo.

Doravante o mundo será uma mulher fogosa e fascinante,
E eu serei outro homem. Leve como pluma esvoaçante,
Sou livre! Quebrei os pregos dos pulsos, soltei-me da cruz.

Aventura, aqui me tens! Sou o teu mais recente amante,
Dá-me asas, deixa-me voar sem fim, até ao sol radiante,
Vou ter com ele e encandeá-lo com o brilho da minha luz.


43 respostas a Segredos

  1. Samartaime Says:
    Boa madrugada, amigo!
    Vim aqui, encontrei «o outro lado da moeda» e fui a correr (muiiiiito!...) colocá-lo no meu blog! E voltei para te participar o «roubo» e reler o soneto. Afinal encontrei um novo e os cometários por minha conta! Vantagens das madrugadas!

    Bom fim de semana e um abraço!
  2. Carmem L Vilanova Says:
    Amigo!
    Hoje eh dia de festa la em casa outra vez... gostaria de poder contar com tua presenca tao querida, para comer um pedacinho de bolo comigo... :o)
    Muitos beijinhos para ti!
  3. maat Says:
    Assim se transforma o ser..naquele momento preciso...
    Gosto do que escreves.



    ***
  4. Claudia Perotti Says:
    E quem não tem segredos ...
    Adoro tuas letras.
    Beijos
  5. Martuxa Says:
    Os segredos são secretos, mágicos... Segredo-te ao ouvido...
    =P
    Sorrisos beijinhos bom feriado e um sol
    =D
  6. Martuxa Says:
    ...
    Aventura, aqui me tens! Sou o teu mais recente amante,
    Dá-me asas, deixa-me voar sem fim, até ao sol radiante,
    Vou ter com ele e encandeá-lo com o brilho da minha luz.
    ...
    :P
  7. Rita Says:
    Mais uma vez, adorei o que li !: )

    Um bom feriado para ti...

    Beijinhos
  8. Sparkling Says:
    '' Dá-me asas, deixa-me voar sem fim, até ao sol radiante,
    Vou ter com ele e encandeá-lo com o brilho da minha luz''
    Ganhar asas e poder voar!
    Adorei o poema!
    Tem um optimo feriado!
    =)
    *^*^*^*^
  9. Paula Raposo Says:
    Óptimo. Gostei muito. A aventura à nossa espera, sempre...beijinhos, bom feriado para ti
  10. Lyra Says:
    sei que o mundo tem asas de borboleta :)
  11. A.na Says:
    E como está grande esta esperança!!
    É lindo sabias?
    A luz e este sol que ganhas
    na entrega das coisas fechadas,
    segredadas,caixas trancadas...
    Cabeças caídas.

    Um grande abraço.
  12. Aran Says:
    Está magnifico... portador de uma força "bruta"... numa esperança encandeante... Gostei, beijinhos
  13. Lubiden Says:
    o que eramos nós sem segredos?.. o que eramos nós só com segredos.. :) muito bem escrito :) os meus parabens
  14. ≈♥ Nadir ♥≈ Says:
    http://www.olhares.com/angels_reborn/foto142289.html

    “Segredos”

    Shhhhhhhhhhhhh
    São segredos...
    Não posso contar
    Shhhhhhhhhhhhh
    São segredos...
    Não vou revelar

    Leva-os nas tuas asas
    Voa meu belo anjo
    Paira ao sabor do vento
    São segredos...
    Não os percas no tempo...

    Voa meu querido anjo
    Voa nas asas do vento
    São segredos meus
    Segredos com sentimento...

    Shhhhhhhhhhhhh
    São segredos...
    Não posso contar
    Shhhhhhhhhhhhh
    Segredos para guardar...

    Shhhhhhhhhhhhh
    São segredos meus
    Meu anjo guardião
    São segredos teus
    Guarda-os com o coração

    Shhhhhhhhhhhhh
    Shhhhhhhhhhhhh


    escrito em 06-07-2005 por ≈©≈Ňąd¡®≈©≈
  15. mfc Says:
    Na vida temos que correr riscos... voa então, sonha e atreve-te! Procura a felicidade.
  16. Pink Says:
    Belíssimo poema num crescendo que termina com duas estrofes fantásticas! Muito belo mesmo.

    Um beijo
  17. Natalie Afonseca Says:
    Deixas-me mesmo de "boca aberta"!!
    Uau!!
    Segredos...
    "Guardei-os na minha alma.."
    "Para quê guardar segredos maiores que o próprio mundo?
    Eram meus. Só meus. Eram maiores que a própria vida,"

    De cortar a respiração, meu caro GNM!!!!

    Segredos Selados
    Fazem de ti
    Um sinónimo de Amigo
    Que consta na
    Primeira folha
    Do meu diciónário....

    Um beijinho Grande para ti!
    Sorrisosss...**
  18. Chocolate Says:
    Quando nos queremos libertar de um segredo, não o devemos lançar às águas.
    Os segredos a destruir Partilham-se com almas puras.
    E transformam-se em Cumplicidades...

    O teu Extranumerário cabe perfeitamente nas minhas contas.
    Terei de voltar, portanto... :)
  19. BloodyMary Says:
    Que poema!...
    Que vontade de partir também à Aventura!...
    E segredos quem não os tem? Só que uns pesam mais do que outros!...

    Beijos**
  20. Pau de Fósforo Says:
    Só escrevo isto.
    Porra... mais um grande soneto... Extra mesmo!!!
    Abraço Comunitário!!!
  21. andrye Says:
    Poema intenso..mas mt bonito..cheio de emoção e sentimento.beijnho grande e bom fim de semna.
  22. Neith Says:
    Deixei-me levar no dorso das tuas palavras :) Um bejo enorme
  23. Cadelinha Lésse Says:
    Voa, voa, mas não queimes as tuas asinhas, que nos fazem muita falta a nós, famintos das tuas palavras. Um bom fds

    Xis
  24. TMara Says:
    no limiar da saude mental se move o poeta e o poema escorre e se constrói...
    bom f.s
    B
    j
    o
    c
    a
    s
    de luz e paz
  25. Claudia Perotti Says:
    Fiquei sem voz e palavras depois que vi o "O Outro lado da moeda"

    Bom final de semana!
    Beijos
  26. Nilson Barcelli Says:
    O teu grito de liberdade soa bem. O poema, para alédm de forte, é muito bem escrito.
    "Quebrei os pregos dos pulsos" e outras imagens são muito bem conseguidas. Muoito bom.
    Abraço e bfs.
  27. Insolente Says:
    ó gnm assim que tiver tempo o teu espaço vai ser colocado la nos meus links... é sempre um prazer visitar-te... ora entao um grande bem haja
  28. Betty Branco Martins Says:
    Soltar de amarras... os teus sentidos

    GOSTEI DE TE LER.

    Hoje
    desenhei
    uma ave
    rumou ao infinito
    voltou
    e depositou o seu voo
    em
    meu colo...

    Beijinhos

    Bfs
  29. Kita Says:
    E cá estou eu de novo... mais uma vez encantada. O teu poema, que primeiramente parecia tão pessimista tornou-se tão brilhante e livre! Adorei... a liberdade é um bem que, infelizmente, nem toda a gente se pode gabar de ter, por isso nunca deixes fugir esse sentimento de liberdade que conseguiste tão bem expressar. Um beijo.
  30. simplesmente...mais eu Says:
    Ensina-me a escrever tão belo quanto tu...ensinas???
    beijokas
  31. Alma de Poeta Says:
    Bela partilha esse poema. Adorei. Deixo um beijinho
  32. A Cor do Mar Says:
    Lindas as tuas palavras.. amei :|Deixo-te grd beijinho***
  33. Cristina Says:
    Olá Gnm,
    Ando sem tempo para visitar os amigos da blogosfera, deixo desde já do meu mundo para o teu, o desejo de um Feliz Natal na companhia de quem té é mais querido.
    O desejo que este teu Natal seja festejado com muita harmonia, paz e muita alegria.
    Um beijinhu com muito carinho :)
  34. gato_escaldado Says:
    poema sensorial. e intenso. apreciei mto. abraços
  35. soldeinverno Says:
    que bonito o teu poema...resplandece de luz e de afectos... beijo
  36. aflores Says:
    Segredos e segredos, quem os não tem, mas não é fácil limpar a gaveta e arrumar de novo;) Boa semana.
  37. nina Says:
    gosto muito ,muito do que escreves!!!
    beijinho
  38. Luís Monteiro da Cunha Says:
    Deixas-me enlevado neste enlevo, como alma em busca do segredo
    que não alcança por ter medo
    da dor de amor condenado ao degredo

    Boa semana, caro amigo, é sempre um prazer ler-te.
    Abraço
  39. SusanaV Says:
    tu escreves fabulosamente bem...

    beijo
  40. pluma(princesavirtual) Says:
    Ficaste a vê-los ir com a corrente??? a irem ao fundo??? ;)

    E viva a aventura. Gostei bastante do poema.

    bjs (recatados) da Princesa
  41. Samartaime Says:
    Então, amigo?
    Aproveita a minha esplanada, que é tranquila. Boa semana.

    E um abraço grande!
  42. luisa Says:
    Nuno,
    Quando será que o Natal deixará de ser consumismo e alienação? Talvez um dia seja mesmo:
    «Dia de Confraternização Universal,
    Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
    de Sonhos e Venturas.»

    Dia de Natal

    Hoje é dia de ser bom.
    É dia de passar a mão pelo rosto das crianças,
    de falar e de ouvir com mavioso tom,
    de abraçar toda a gente e de oferecer lembranças.

    É dia de pensar nos outros — coitadinhos— nos que padecem,
    de lhes darmos coragem para poderem continuar a aceitar a sua
    miséria,
    de perdoar aos nossos inimigos, mesmo aos que não merecem,
    de meditar sobre a nossa existência, tão efémera e tão séria.

    Comove tanta fraternidade universal.
    É só abrir o rádio e logo um coro de anjos,
    como se de anjos fosse,
    numa toada doce,
    de violas e banjos,
    Entoa gravemente um hino ao Criador.
    E mal se extinguem os clamores plangentes,
    a voz do locutor
    anuncia o melhor dos detergentes.

    De novo a melopeia inunda a Terra e o Céu
    e as vozes crescem num fervor patético.
    (Vossa Excelência verificou a hora exacta em que o Menino Jesus
    nasceu?
    Não seja estúpido! Compre imediatamente um relógio de pulso
    antimagnético.)

    Torna-se difícil caminhar nas preciosas ruas.
    Toda a gente se acotovela, se multiplica em gestos, esfuziante.
    Todos participam nas alegrias dos outros como se fossem suas
    e fazem adeuses enluvados aos bons amigos que passam mais distante.

    Nas lojas, na luxúria das montras e dos escaparates,
    com subtis requintes de bom gosto e de engenhosa dinâmica,
    cintilam, sob o intenso fluxo de milhares de quilovates,
    as belas coisas inúteis de plástico, de metal, de vidro e de
    cerâmica.

    Os olhos acorrem, num alvoroço liquefeito,
    ao chamamento voluptuoso dos brilhos e das cores.
    É como se tudo aquilo nos dissesse directamente respeito,
    como se o Céu olhasse para nós e nos cobrisse de bênçãos e favores.

    A Oratória de Bach embruxa a atmosfera do arruamento.
    Adivinha-se uma roupagem diáfana a desembrulhar-se no ar.
    E a gente, mesmo sem querer, entra no estabelecimento
    e compra— louvado seja o Senhor!— o que nunca tinha pensado comprar.

    Mas a maior felicidade é a da gente pequena.
    Naquela véspera santa
    a sua comoção é tanta, tanta, tanta,
    que nem dorme serena.

    Cada menino
    abre um olhinho
    na noite incerta
    para ver se a aurora
    já está desperta.
    De manhãzinha,
    salta da cama,
    corre à cozinha
    mesmo em pijama.

    Ah!!!!!!!!!!
    Na branda macieza
    da matutina luz
    aguarda-o a surpresa
    do Menino Jesus.

    Jesus
    o doce Jesus,
    o mesmo que nasceu na manjedoura,
    veio pôr no sapatinho
    do Pedrinho
    uma metralhadora.

    Que alegria
    reinou naquela casa em todo o santo dia!
    O Pedrinho, estrategicamente escondido atrás das portas,
    fuzilava tudo com devastadoras rajadas
    e obrigava as criadas

    a caírem no chão como se fossem mortas:
    Tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá-tá
    Já está!
    E fazia-as erguer para de novo matá-las.
    E até mesmo a mamã e o sisudo papá
    fingiam
    que caíam
    crivados de balas.

    Dia de Confraternização Universal,
    Dia de Amor, de Paz, de Felicidade,
    de Sonhos e Venturas.

    É dia de Natal.
    Paz na Terra aos Homens de Boa Vontade.
    Glória a Deus nas Alturas.

    ANTÓNIO GEDEÃO
  43. Anónimo Says:
    Enjoyed a lot! film editing schools

= Leave a Reply