Não sei o que queres dizer com glória, disse Alice.
Humpty-Dumpty sorriu, com desprezo. Claro que não, até que eu te diga. Quero dizer "aí tens um belo argumento que te arruma!"
Mas "glória" não significa um belo argumento que te arruma
, objectou Alice.
Quando eu uso uma palavra, disse Humpty-Dumpty, em tom de escárnio, ela significa o que eu decidir que significa, nem mais nem menos.
O problema é, disse Alice, se se pode obrigar as palavras a significar tantas coisas diferentes.
O problema é, disse Humpty-Dumpty, quem manda. Apenas isso.

Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas




rascunhos
de
abordagens
(eventualmente)
literárias



GNM


Nasci muito perto do fim dos anos 70. O meu nascimento aconteceu às primeiras horas de um dia gelado de Dezembro, e, desde aí, jamais consegui libertar-me do frio que se fazia sentir naquele dia. A normalidade foi algo que durante toda a vida inconscientemente ansiei, mas sempre recusei. Em criança ela espreitava-me durante a noite, olhando-me do lado de fora da janela. E eu, fingindo não a ver, fechava as cortinas...

Lua

⊆ terça-feira, outubro 18, 2005 por GNM | ˜ 19 comentários »

A lua sorri camuflando a verdade,
Sorriso gasto, de esperança perdida,
Sempre evocada, sempre esquecida,
Prisioneira da sua própria liberdade.

Oh lua… conheço-te bem demais.
Também eu sou cavaleiro solitário,
Viajante sem destino… extranumerário,
Prisioneiro de intensas crises outonais.

Sei que carregas em ti uma imensa vertigem:
Observas impotente a miséria e angustia que nos afligem.
E deves pensar: “O mundo poderia ser lindo!”

Também eu carrego no peito um abismo sem fundo,
Desde o dia em que fórceps me lançaram ao mundo,
E sorrindo disseram: “Sê bem vindo!”


19 respostas a Lua

  1. Martuxa Says:
    Está fantástico. Cm smp e pa ñ variar. A lua tem smp akele fascínio...
    Um sorriso =D e uns bjitos
  2. Anónimo Says:
    "Também eu carrego no peito um abismo sem fundo,
    Desde o dia em que fórceps me obrigaram a pertencer ao mundo,
    E sorrindo disseram: “Sê bem vindo!”"

    Muito, muito mau.
  3. Claudia Sousa Dias Says:
    Olá Poeta! Gosto muito mais uma vez. Parece que a sessão de poesia na Casa das Artes de Famalicão foi cancelada...:(

    Pena!Mas hei-de arranjar uma ocasião para ler uma dos teus poemas...


    Haverá de certeza outra daqui a duas semanas..
    Bjs

    CsD
  4. Luís Monteiro da Cunha Says:
    A lua, um dos meus temas preferidos.
    Pela irreverência, fantasia que suscita, o mistério que sempre em si encerrará, lua... esse planeta de apaixonados e ilusões.

    Boa semana
  5. GNM Says:
    Muito me honram todos os comentários. Mesmo os que criticam negativamente.
    Creio que a secção de comentários de um blog, deve ser mais do que um espaço de burguesismo intelectual de troca de elogios mútuos.

    Continuem a sorrir!
  6. badger Says:
    Permitam-me discordar com quem diz que está mt mau... se k kem o fez tem o seu direito! Por isso eu tb tenho o meu direito, e está mt bom!!
    A Lua é assim... miteriosa... e muitas vezes companheira de longas noites!!
  7. luisa Says:
    Caro Senhor ANÓNIMO,

    Criticar é tão fácil! Sobretudo quando, sob a capa do anonimato, debitamos opiniões infundamentadas. Tal como o autor deste blogue, considero que todas as achegas são bem-vindas, sobretudo se honestas. No entanto, visto que criar é um parto difícil e nem sempre os rebentos são sãos e escorreitos (alguns envergonham as suas mãezinhas, escrevendo cartas anónimas)diga-me uma coisa:
    Anónimo, já criou alguma coisa? Galinhas, textos, filhos?
    Se o fez, diga lá por que razão não gostou, mostre a cara do seu blogue ou uma foto de um quadro q tenha pintado, mande uma partitura do que compôs ou, simplesmente, prove que é também um CRIADOR. Depois critique. Negativa ou positivamente. Terá legitimidade para o fazer. Não o considerarei um castrado, um frustradinho da silva, bem à moda portuguesa: dizem muito mal os que nunca fizeram coisa alguma.
    Mas, também lhe digo, caro ANÓNIMO, os versos:
    Desde o dia em que fórceps me obrigaram a pertencer ao mundo,
    E sorrindo disseram: “Sê bem vindo!”" não são a melhor coisa que o POETA deste blogue já pariu. Acontece! Fórceps a sorrir também não me parece uma metáfora brilhante. :) Enfim, dizia a Senhora minha Mãe: "Só não erra quem nada faz."
    A sua opinião provou uma coisa:
    o caro Anónimo não deve ser tão estúpido e cretino quanto o facto de fazer um comentário cobardemente anónimo levaria a supor.
    Cresça e faça-se GENTE, homem ou mulher de cabeça erguida! E crie: esculturas, canções ou galinhas. Faça filhos e CRIE-OS. Vai ver que se torna uma pessoa melhor.
  8. Martuxa Says:
    Correndo o risco de parecer chat, pois já comentei o teu blog... mas ñ resisti.
    Além do poema fantástico escolheste uma música simplesmente deliciosa e com uma letra fantástica e muito "forte".

    Também eu sou cavaleiro solitário

    Sem mais nd...
    Um sorriso =D e uns bjitos
  9. BloodyMary Says:
    A lua " prisioneira da sua própria liberdade"...não somos todos? Acho que todos somos enganados quando nos dizem que somos livres...grande treta...quanto mais não seja estamos presos aos limites da sociedade em que nos inserimos!
    Quanto a isso também eu já perdi a esperança!
    Mas é sempre bom sonhar!...Refugiarmo-nos no nosso pensamento e, por muito fugaz que seja esse momento de solidão...somos livres de pensar!E por isso recorro tantas e tantas vezes ao meu imaginário...ao meu mundo dos sonhos, à minha solidão!

    É esta angústia que temos de carregar como uma sombra, na eternidade da nossa existência!

    O poema está muito bom...quanto á metáfora dos fórceps...qual é o mal? É apenas a realidade nua e crua da forma como muitos de nós vêm ao mundo! E fomos "obrigados" a vivê-lo! Não é bonita? Há tanta coisa no mundo que não é bonita e que não podemos colocar de parte!...

    Força aí!

    Beijos**
  10. lena Says:
    um sorriso meu para a lua e fiquei fascinada com o que li, é belo o teu blog, fantastica a musica, senti-me bem aqui a ler-te
    volto mais vezes
    um beijo
    lena
  11. lique Says:
    A lua é espectadora da nossa angústia. O teu "lado lunar" manifesta-se muito bem neste poema.
    Beijos
  12. I Says:
    "Também eu carrego no peito um abismo sem fundo,
    Desde o dia em que fórceps me obrigaram a pertencer ao mundo,
    E sorrindo disseram: “Sê bem vindo!”"os meus não me disseram nada....:-((((
    e magoaram-me..tenho as marcas no pescoço...
  13. Betty Branco Martins Says:
    Sim! como o mundo poderia ser maravilhosamente lindo (ele é) mas só que muito maltratado :(((

    Linda mensagem o teu poema!

    Beijinhos
  14. Cláudio B. Carlos (CC) Says:
    Oi Gonçalo!

    Belo poema.
  15. Luís Monteiro da Cunha Says:
    Não ligues.
    Abraço
  16. Paula Raposo Says:
    Lindo poema! Muito. Beijos
  17. Pedro Nobre Says:
    Lua, a minha amiga, a minha conselheira e a minha inspiração.

    A lua...
  18. Anónimo Says:
    Enjoyed a lot! »
  19. Anónimo Says:
    best regards, nice info »

= Leave a Reply