Não sei o que queres dizer com glória, disse Alice.
Humpty-Dumpty sorriu, com desprezo. Claro que não, até que eu te diga. Quero dizer "aí tens um belo argumento que te arruma!"
Mas "glória" não significa um belo argumento que te arruma
, objectou Alice.
Quando eu uso uma palavra, disse Humpty-Dumpty, em tom de escárnio, ela significa o que eu decidir que significa, nem mais nem menos.
O problema é, disse Alice, se se pode obrigar as palavras a significar tantas coisas diferentes.
O problema é, disse Humpty-Dumpty, quem manda. Apenas isso.

Lewis Carroll, Alice no país das maravilhas




rascunhos
de
abordagens
(eventualmente)
literárias



GNM


Nasci muito perto do fim dos anos 70. O meu nascimento aconteceu às primeiras horas de um dia gelado de Dezembro, e, desde aí, jamais consegui libertar-me do frio que se fazia sentir naquele dia. A normalidade foi algo que durante toda a vida inconscientemente ansiei, mas sempre recusei. Em criança ela espreitava-me durante a noite, olhando-me do lado de fora da janela. E eu, fingindo não a ver, fechava as cortinas...

Sorriu

⊆ segunda-feira, setembro 19, 2005 por GNM | ˜ 44 comentários »

Com candura insolente
Dormindo docemente, sorriu.
Amanheceu mais que atrasada
Olhou o relógio consolada, sorriu.
“Só mais uns minutos”, sorriu.
Levantou-se despenteada,
Maquilhagem esborratada,
Olhou-se ao espelho, sorriu.
Caminhou pela rua
Acreditando que a lua
Também era sua, sorriu.
Advertida pelo gerente,
Velho triste e diligente, sorriu.
Trabalhou com arte,
O cansaço à parte, sorriu.
Terminado o ofício,
Sem dor nem sacrifício, sorriu.
Passeou voluptuosa,
Soltando asas de mariposa, sorriu.
Aos olhares curiosos, sorriu.
No banco do jardim, sorriu.
Ao ruído do patos, sorriu.
À beira do lago, sorriu.
Na escadaria, sorriu.
Nas roseiras, sorriu.
No baloiço, sorriu.
Na relva, sorriu.
Sorriu
Sorriu
Sorriu
Sorriu
Voltou para casa encantada,
Jeito de criança endiabrada, sorriu.
Viu o correio,
Mais contas sem freio, sorriu.
Jantou iguarias de chacal,
Gourmet sem gosto nem sal, sorriu.
Olhou pela janela:
“Que cidade feia tão bela”, sorriu.
Fechou os olhos e pensou:
“Abençoado inventor do Amor”.


44 respostas a Sorriu

  1. luisamonteiro Says:
    Este poema tem um ritmo fantástico e é muito, muito lindo!!!!
  2. Ana Says:
    Há dias em que voamos por cima de tudo:)Tão bom!
    Um abraço:)
  3. amita Says:
    Frenético e sempre o sorriso presente. Percorri vários poemas e fiquei encantada com o que li, poeta. Agradeço a tua passagem pelo meu blog do sapo e as doces palavras que lá deixaste. Uma boa semana para ti, poeta, e um abraço, uma flor e um doce sorriso
  4. lazuli Says:
    Gosto dos teus poemas
  5. lazuli Says:
    sim, fazes-me sorrir:)
  6. sonhos sonhados Says:
    Keridos Amigos

    muitos disseram que gostariam de jogar comigo...
    ................................................então vamos a isso!
    ...............................................................................

    Proponho um novo jogo.

    Cada um dos jogadores,
    deve no prazo de três, quatro, cinco dias...
    ...se possível...
    ..............claro!

    Escrever uma curta lista...
    ...na qual constarão três vocábulos.
    (poderá ser nos meus comentários,
    para me ser mais fácil realizar
    a lista final).

    juntá-los-ei
    ...e apresentarei
    uma lista...
    com todos os vocábulos escolhidos.

    Com eles...
    vamos escrever um texto!

    em prosa, poesia, drama... ou até imagem simbólica
    (sendo obrigatória a utilização de todas as palavras/símbolos obtidos no “bingo”.
    caso surjam palavras repetidas podemos utilizá-las... apenas uma vez).

    Depois...
    cada um apresentará no seu blogue um texto.

    Não haverá prémio!
    ................que pena!

    Contudo...
    penso que irão surgir textos muito engraçados...
    uma vez que os vocábulos...
    serão “novidades”.

    Que dizem?
    Alinham?
    ..............................

    Então... mãos à obra.
    Beijux létinha.
  7. Marta Says:
    o amor desperta emoções tão forte dentro de nós, e tão boas, q só nos apetece sorrir. gostei mt. bjs
  8. Paula Raposo Says:
    Adorei!! Sorrir sempre, ok, vou tentar! Beijos, obrigada pela tua visita, com ela já sorri...
  9. Fernando Palma Says:
    Muito bonito, poema!
    A vida é exatamente como a vesmo, por isso devemos olhar com sorrisos.
    Acebei de conhecer seu blog e gostei do que vi. Até mais.
  10. I Says:
    "Soltando asas de mariposa" voei no teu poema.Lindo!
  11. Luis Enrique Says:
    Como é que fez para por música no blog?..me explica como é?. Tenho estado intentando, quebrando a cabeça mas näo consigo.
  12. Luis Enrique Says:
    Por certo, o seu blog está sensacional, parabéns !
  13. Claudia Perotti Says:
    Simplesmente maravilhoso.
    Sorri muito ao ler!
    Beijos
  14. terragel Says:
    Essa pessoa quer o que mais da vida? Vive feliz, pois sorri com facilidade e de tudo. Como dizia uma amiga minha: as melhores "coisas" da vida não são "coisas", são sorrisos.
    Obrigado pela sua gentileza de me visitar e pelas palavras que deixates. Volte quando quiseres.
    Bjs
  15. murmurio do silencio Says:
    O sorriso é uma tentativa, uma construçao, e um fim sem fim.

    mt bom poema.

    gostei do blog.
  16. zahaara Says:
    Brincas com as palavras com uma leveza extraordinária!
    Hoje também me sinto um pouco assim, mas quem dera que fosse por causa do amor!
  17. Rosario Andrade Says:
    Lindo... e a escolha também é feliz! depois do poema anterior, um pouco de alegria e de sorrisos veio colocar de novo o ênfase no que de melhor a humanidade tem...
    Abracicos!
  18. Iara Says:
    Realmente quem ama fica assim, sorrindo para tudo e todos.
  19. mfc Says:
    Tudo nos faz sorrir quando estamos possuídos pelo amor... fica-se cego.
    Poema lindamente construído e a repetição da palavra, torna-o extremamente forte.
  20. Nilson Barcelli Says:
    Gonçalo, este teu poema é óptimo.
    Muito bem construído. Parabéns.
    Abraço.
  21. Ninguém.Especial Says:
    Ai o amor, amor, amor, mor, or, or, r, .
  22. Anónimo Says:
    Bonito poema, senti o amor aqui bem perto de mim:)

    *******

    Rose
  23. Lilly Rose Says:
    obrigada pelo link :)

    estava a ler o teu poema e lembrei-me do quotidiano de Carlos Paredes. depois veio o amor como explicação. se calhar, ou paixões maiores que todas as rotinas - paixões por outras pessoas, pela música ou outra arte, pela escrita,
    pelas descobertas,...

    como esta hoje ou há alguns dias atrás,
    o universo do Extranumerário :)
  24. Betty Branco Martins Says:
    Olá

    Um obrigada muito grande pelas palavras e pela visita. Espero que seja a primeira de muitas :)

    Como não conheço a tua "casa", vou dar uma voltinha para ficar a conhecer um pouco. Prometo que voltarei

    Um beijo
  25. jorgebond'alfangeassunção Says:
    Se dizes que escrevo bem, que poderei eu dizer do que li por aqui?? Apenas sou um aprendiz de Feiticeiro, junto do que está, :) Forte Abraço
  26. Raquel V. Says:
    Gostei imenso do poema. A repetição da palavra resultou realmente muito bem :)





    --------
    Obrigada pela visita ao meu cantinho.
  27. Morsa Says:
    Oi! Gostei imenso da tua escrita. Continua a escrever assim que eu continuarei a passar por cá! Está espectacular! Ainda por cima nasceste na mesma altura do ano que eu, apesar de seres mais velhote!

    Um abraço
  28. Catty Says:
    Este poema devia ter sido eu a divulgá-lo.....sorry ...só digo isto porque fala dos sorrisos que eu sempre menciono....adorei...
    beijos...
  29. Vivis Says:
    Que sorriso...
    até me arrancou um .
    Beijo
  30. Maria Says:
    Adoro Jorge Palma!!Parabéns pela escolha, é sempre óptimo ouvir uma música tão bonita. Quanto ao que escreveste gostei muito de ler também.
  31. Carlos Barros Says:
    faz falta...algo que nos aqueça...
  32. salseira Says:
    sorri (:
  33. Clitie Says:
    Olá, vim agradecer a tua visita. Gostei deste texto.

    Bjks
  34. amartejo Says:
    Gosto muito, és muito original, continua, aliás, vê-se que não podes parar.
  35. kathy Says:
    adorei... faz me lembrar "a calçada de carriche".desconheço o autor desse poema.
  36. António Says:
    Obrigado pela tua visita ao meu blog e pelo que lá escreveste.

    Devo dizer-te não sou nem nunca serei poeta.
    Nem mesmo gosto da maior parte da poesia que leio (ou tento ler).
    Mas estive a apreciar alguns dos poemas que aqui tens.
    E gostei.
    É uma poesia leve e penetrável.
    E, sobretudo, parece-me que alguns poemas, como o deste post, nasceram para ser musicados.
    Um abraço
  37. amas_me Says:
    Sorri, porque vale sempre a pena sorrir... bjinho
  38. Cláudio B. Carlos (CC) Says:
    É minha primeira visita.
    Voltarei para ler mais.


    CC.
  39. luisa Says:
    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
  40. luisa Says:
    Venho aqui mais uma vez, desta para saudar a KATHY! Este poema faz-te lembrar a CALÇADA de CARRICHE, de ANTÓNIO GEDEÃO. Se um dia estudares Literatura Comparada, serás uma excelente aluna! DESCOBRE GEDEÃO, poeta tão "calado" ainda, tão esquecido. Vais ver que vale a pena. Gostei tanto do teu comentário que vou visitar o teu blog.
  41. Anónimo Says:
    é bom sentirmos, que a vida nos faz sorrir... um sorriso para ti, cheio de alegria!

    um beijo


    CR
  42. Martuxa Says:
    O amor... Tem um poder incrivel!!! O problema é k ás vezes inda faz xorar e sofrer mais, mas na sua essência o amor é td pa td!!!!
    Beijinhos
    Sorri smp apesar de td
    Poema fantástico, diferente, ritmo fantástico....
    Beijos
  43. Kita Says:
    Não resisti a comentar este poema... ;) o amor faz maravilhas no mundo, não é? Torna as coisas que parecem feias nas coisas mais belas à face da terra... com tantos sorrisos espalhados pelo poema até dá vontade de sorrir também... ;)
  44. Anónimo Says:
    Very nice site! second hand peugeot 406

= Leave a Reply